Escoja su idioma/ Escolha seu idioma.

As relações de Borges com a literatura policial sempre foram múltiplas: leitor, resenhista, editor e, finalmente, autor. Em sua obra individual e na colaboração com Bioy Casares, Borges explorou as possibilidades do gênero, dissecou-o e chegou a formular “leis” para regrar as histórias de investigação e detetives. Por meio desse vínculo profundo com as narrativas policiais, aprofundou seu diálogo com a obra de Edgar Poe e de G.K.Chesterton e, sobretudo, reforçou o que o crítico Emir Rodríguez Monegal caracterizou como uma “poética da leitura”.

Julio Pimentel Pinto é professor no Departamento de História da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisa as relações entre ficção e história. Escreveu, entre outros, Uma memória do mundo: ficção, história e memória em Jorge Luis Borges (1998), A leitura e seus lugares (2004), Ensino de história: diálogos com a literatura e a fotografia (2013) e A pista e a razão: leituras da ficção policial na história (no prelo).

20479857_1354187041343391_4672063040209302459_n

El Proyecto LINKING DOTZ (Conectando puntos) entiende ser un puente entre culturas y diversos paradigmas de los pueblos. Un lugar de unión y convergencia estableciendo una base común de entendimiento, del mismo ser y su esencia en su forma más pura.

Es el fruto de la experiencia de un argentino, Rodrigo Doxandabarat, que desde muy joven creció expuesto a las más diversas culturas, formas de pensar, creencias y ver el mundo. Con sus controversias, hallazgos, tristezas y más profundas alegrías.

Rodrigo Doxandabarat colaboro con la Madre Teresa de Calcuta, fue Escudo Humano durante la guerra de Iraq en el 2003, trabajo con organizaciones no gubernamentales ayudando niños huérfanos durante la guerra e implementó proyectos de desarrollo en villas miseria en Argentina.

DOTZ entiende fomentar la economía participativa y la innovación abierta. Un ecosistema económico alternativo que promueva un correcto balance entre las cuestiones económicas, ecológicas y sociales, estableciendo nuevos estándares que tengan un impacto positivo en las personas y el medio ambiente.

Como vehículo se utiliza un símbolo de la cultura argentina, La Alpargata. Influenciada por diferentes culturas: formas estilizadas europeas y suela del tradicional “Chínelo“ brasileño con el ímpetu de valorizar las culturas locales desde una óptica global.

La misma es impresa con estampas realizadas por artistas que por medio de una plataforma de Crowdsourcing hacen propuestas desarrolladas exclusivamente.

Actualmente, en colaboración con UNISOL y la Rede COSTURA SOLIDARIA SP, una organización sin fines de lucro que coordina, asiste y refuerza a pequeños grupos de costureras de comunidades vulnerables, Rodrigo Doxandabarat está realizando talleres de capacitación donde les ensena a hacer el calzado, con el objetivo que puedan acceder a un trabajo digno, promoviendo la reinserción laboral y la cooperación.

Las manos que cosen las capelladas, las mentes detrás de los diseños son todos colaboradores con un objetivo común. No se ha ahorra esfuerzo alguno en asegurar que los calzados se hagan de la manera más sustentable posible. Cada componente fue cuidadosamente seleccionado. Desde materiales reciclados hasta su capellada que es de algodón orgánico producido por pequeños agricultores rurales de la región de Paraiba, al noreste de Brasil.

20638359_1354187138010048_8375977453862121399_n

Os temas “lobo” e “coiote” estiveram presentes na expressão do artista nos últimos anos. Após o desaparecimento de seu fiel animal, um outro cão começou a segui-lo, em suas caminhadas diárias ao ateliê.

O cão o acompanhava silencioso e fiel, muitas vezes sem que ele o notasse. Um dia o perro adentrou ao ateliê e se instalou. A partir deste momento iniciou-se uma série de estudos que evocam o tema:

vida/morte/vida, eterno em seus pensamentos.

20476404_1354187124676716_8430107403584917999_n

Exportar al mundo la cultura local que nació marcada por el carácter multiétnico y multicultural.

Lo sustentable en controversia a lo ilimitado.

20620754_1354187104676718_2349055004571992892_n

Quando falamos de globalização a primeira imagem e da integração das culturas particulares, mas o meio ambiente e a primeira coisa na compreensão do global no mundo contemporâneo e nesta obra isto esta patente no ciclo das águas, da evaporação, da chuva.

A água e talvez o elemento indestrutível. Temos hoje a mesma água que beberam os dinossauros, água suja ou água limpa, ela e o que buscamos no universo. Água  e o símbolo do global

Talvez além da água o elemento mais importante nesta obra e o fio vermelho, o fio condutor, aquele que na literatura da sentido a uma historia o fio condutor de uma narrativa entre a escrita ou o grafismo flutuante sobre a água  e a interpretação a traves da mídia, neste caso a fotografia.

20604296_1354187108010051_155849517019650113_n

Glocalização

O norte argentino, Puna de Atacama, assim como o sul, Patagonia, são pouco conhecidos ainda pelo turismo internacional.

A fauna da Puna se integra as cores maravilhosas da região, quase confundindo-se com o habitat.

O mesmo ocorre na Península de Valdés, na Patagonia, onde seus incríveis habitantes camuflam-se nas cores das águas puríssimas.


20525825_1354187034676725_2058282736944543057_n

” Arte e política exigem muita emoção , sensibilidade , responsabilidade social e opções para os que se dedicam a ela como parte da busca por um mundo melhor , mais humano e livre . Distante da irracionalidade coberta de lama que tanto nos envergonha. ”


20621880_1354187168010045_8531852674636441358_n

“Amor fraterno”

Pensei nesta escultura para representar o tema proposto para a exposição porque a Argentina foi a nossa “gestante”, nela nascemos e dela saímos para o mundo.

Por esta “mãe pátria” temos um sentimento profundo nutrido com muito afeto e carinho.

Este amor fraternal que sentimos está ligado aos laços familiares e de amizade que ainda nos unem com as pessoas que ficaram lá.

É um sentimento verdadeiro que não tem interesses, é um sentimento nobre que demostra genuinamente o amor que sentimos pelo nosso país de origem.


20431283_1354187021343393_311166695835303351_n

Meu trabalho parte de textos que me inspiram, textos que me mobilizam, que me incomodam!

A partir das matrizes, os incorporo como uma tatuagem nova no corpo passa a ser parte de mim!

Começa a etapa de resinificar cada um deles… As palavras, as frases, são respondidas, cortadas, rasgadas e reinventadas.

As camadas, o que se mostra e se esconde e o que podemos e queremos nos dar e mostrar. o tecido , bem feminino representa a união ,o sustém entre mulheres .como trabalhando juntas podem se superar e sustentar umas a outras!

Escoja su idioma/ Escolha seu idioma.

expo2017-3